março 14, 2007

Pataniscas de bacalhau com arroz de grelos



Gosto muito de pataniscas de bacalhau, mas a minha especialidade são os pastéis do dito. Levei tempo para conseguir que as pataniscas ficassem como queria: leves e fofas. Experimentei várias receitas e o resultado não era do meu agrado, mas a vontade de comer as pataniscas persistia. Vai daí, resolvi fazê-las à minha maneira.
E o resultado foi finalmente do meu agrado.
Como fiz:

Usei 2 boas postas de bacalhau demolhado, salsa picada, 1 cebola picadinha, 2 dentes de alho também picados, 3 ovos, 100g de farinha e um pouco de cerveja branca, uma colher de sopa de azeite, sal e pimenta.

Misturei a farinha com o azeite, o sal e a pimenta.
Juntei as gemas dos ovos e mexi tudo; juntei um pouco de cerveja e bati bem, com a colher de pau. Juntei o bacalhau, previamente limpo de peles e espinhas e desfiado, a cebola, o alho, e a salsa. Finalmente misturei no preparado as claras dos ovos, batidas em castelo.
Depois foi só fritar às colheradas, e pôr a escorrer sobre papel absorvente.



O arroz:
Estamos em época de grelos, que por aqui se chamam espigos. Na horta há os de nabo e os de couve. Eu prefiro os segundos, mas os gostos dividem-se...

O arroz foi feito com grelos de couve.
Limpos, lavados e cortados aos pedacinhos. Aproveitam-se para o arroz só as folhinhas mais tenras e as pontas.

Primeiro ponho uma cebola picada a cozer em azeite, sem alourar; depois junto os dentes de alho e os grelos e deixo-os saltear até ficarem macios. Nessa altura entra o arroz, e envolvo tudo. Rego com a água a ferver: para arroz seco e soltinho duas vezes o volume do arroz em água; se o quiserem malandrinho devem pôr 3 partes de água para uma de arroz. O da foto fiz seco. Deixo levantar fervura, tapo o tacho, baixo o lume, e deixo cozer 10 minutos.

Quando o preparo na versão malandrinho, ponho uma farinheira previamente picada com um garfo sobre o arroz, antes de tapar o tacho. Uma versão beirã que também é do meu agrado.

8 comentários:

Eliana Scaramal disse...

Que bonito! Esse pratinho do arroz é a coisa mias fofa do mundo! :)

colher-de-pau disse...

Que engraçado... Aqui espigos são os grelos de couve, e grelos, são grelos de nabo!
Gosto muito de pataniscas, e essas estão divinais..trocava-as já pelo meu almoço!
E por acaso também faço assim. O que eu acho que lhes confere a "leveza" é a bebida gaseificada! Também já fiz com água com gás e o resultado é o mesmo!

Mamaíta disse...

Comi já!
Adoro arroz de grelos de couve :P
Adoro! Adoro!

Beijinhos :)

Mamaíta disse...

Comia e nao comi, infelizmente...

Paula disse...

Colher de pau, depois das várias experiências tirei a mesma conclusão: acho que o gás contribui muito no resultado final... Da próxima vez já experimento com a água gaseificada.


Mamaíta: se fosse possível tê-la-ia convidado com muito gosto! :)

Anónimo disse...

Querida Paula,
É sempre delicioso visitar o teu 'blog'. No entanto, faço-o hoje, de forma a dar-te os parabéns por tão saborosa receita. Fiquei rendida.Adoro pataniscas, sempre tentei fazê-las e nunca ficavam da melhor forma. Ao experimentar a tua receita, fiquei extasiada! Fizestes mais uma família feliz. obrigada! E continua sempre assim... A fazer as nossas delícias de bem comer!

Paula disse...

Obrigada pelas simpáticas palavras! Não há nada melhor que fazer os outros felizes... Bjs.

Cristina disse...

Desconhecia por completo o truque da cerveja ou água com gás, mas adorei saber!!! Para a próxima já as farei desta forma. Quanto ao arroz de grelos... só uma palavra DIVINAL! Gostei igualmente da ideia de incluir uma fariheira. Que boa comidinha Paula!!!