outubro 15, 2007

Rolhas



Fim do suspense...

Pois é, Avental, o bolinho é mesmo um babá! E o açucar em que está envolto é desnecessário.

Esta versão de babás, menos conhecida e mais difícil de encontrar nas pastelarias, é a minha preferida.
Aqui na Covilhã só conheço uma pastelaria que ainda os faz, à boa maneira antiga.

Os mais vulgares (e não menos bons) são aqueles redondinhos, recheados com chantilly e a tampinha por cima.

Este não fui eu que o fiz, mas bem o comi! As merecidas honras cabem ao pasteleiro que fabrica para a "Lisbonense", a pastelaria que por cá vende estas maravilhas, e que não me dá percentagem pela publicidade...

O certo é que tenho a receita, e um destes dias vou pôr as mãos na massa.

Aqui vô-la deixo, se tiverem vontade e tempo para se aventurar antes de mim :

Ingredientes:

100g de corintos ou frutas cristalizadas em pedacinhos (o da foto tinha fruta cristalizada)
3 dl de rum
250g de farinha
1 pitada de sal
25g de açucar
10g de levedura seca
4 ovos
100g de manteiga amolecida

Para a calda:
1 l de água
500g de açucar
1 dl de rum

Os corintos ou a fruta põem-se de molho na véspera no rum.
Mistura-se a farinha com o sal, o açucar, a levedura e os ovos. Trabalha-se a massa até ficar homogénea e junta-se a manteiga e os corintos ou a fruta, escorridos. Mistura-se bem e verte-se em formas de pudim, altas, untadas com manteiga. As formas utilizadas é que lhe vão dar a forma típica de rolhas, nome pelo qual são aqui conhecidos estes bolinhos.

Ter em conta que os bolinhos vão crescer, por isso não se devem encher as formas para além dos 2/3...

Deixam-se levedar ao abrigo das correntes de ar, em local aquecido (o forno morno desligado é uma boa opção).

Depois de lêvedos levam-se a cozer em forno moderado (200ºC) por 15 minutos, mais ou menos.

Desenformam-se e deixam-se arrefecer. Entretanto fervem-se juntos o açucar e a água para a calda até obter ponto de fio, e aromatiza-se com o rum. Quando frios, mergulham-se os babás nesta calda, retiram-se com a escumadeira e deixam-se arrefecer novamente.

Passá-los ou não por açucar granulado é facultativo; eu acho que não faz falta nenhuma...

Devem dar uma trabalheira, só compensada pela gulodice...

Outra gulodice de que falaram e de que ando cheia de saudades são os sonhos de abóbora... Sobra vontade, mas falta sempre tempo!

5 comentários:

Marizé disse...

Realmente esses bolinhos são uma tentação, vou tomar nota da receita para o caso de ter um rasgo de inspiração.
Obrigada por partilhar.
NBeijocas

winnie disse...

Não conhecia :/

colher-de-pau disse...

Quando for à Covilhã, já sei o que procurar!

avental disse...

Então o açúcar era só para despistar :)

diogo disse...

rolhas .... gostava tanto disso .até me veio o gosto à boca . e os alsacianos da solmar ?? que saudades de ser novo outra vez..