outubro 09, 2006

Coisas de cá...

Obrigada a todos pelos comentários simpáticos que por cá têm deixado.
Não tenho dado muitas notícias, mas penso que a partir da próxima semana retome o ritmo normal; afinal parece que sempre é possível instalar o ADSL na minha nova casinha - cruzes, canhoto, não vá o diabo tecê-las!!...

Bom, isto é um blog de culinária, mas vou mostrar os nossos dois novos amiguinhos:




São o Faustino e o Fugêncio (este último chama-se assim porque foge por tudo e por nada... Parecem duas tartaruguinhas, mas não são: são dois cágados bébés que não deviam ter sido retirados do seu habitat e que eu e as minhas meninas tomámos ao nosso cuidado.

Não são giros? Adoram apanhar sol.





Agora coisas sérias: proponho-me dar-vos algumas receitas de biscoitos e bolinhos típicos desta região. Que acham?
A maior parte das receitas faz parte dos cadernos de culinária da família há anos.

Vamos começar pelos biscoitos de azeite.



São pouco doces, e têm uma textura semelhante à das cavacas. Vendem-se em quase todas as padarias e pastelarias de cá. Os da imagem são grandes, mas podem fazer-se mais maneirinhos, que é como eu gosto deles para servir com o cafézinho.

A receita base leva:

5 ovos inteiros e 3 gemas ;
1 chávena de açúcar ;
1/4 l de azeite ;
meio cálice de aguardente ;
farinha que baste, como se explica abaixo;
ovo para pincelar, e açucar para polvilhar

Batem-se os ovos inteiros com as gemas e o açúcar até duplicar de volume e não se sentir o açucar. Aquece-se um pouco o azeite em banho-maria e junta-se aos ovos; bate-se um pouco mais.

Em seguida vai-se adicionando a farinha (cerca de 500 g) à mão, e amassa-se bem. Junta-se a aguardente e, se for necessário, um pouco mais de farinha. A massa deve ficar macia mas permitir que se moldem os biscoitos, como explico a seguir, por isso a quantidade de farinha deve ser rectificada segundo diversos factores, como o tamanho dos ovos, ou o teor de humidade da própria farinha...
Deixa-se descansar um pouco a massa, e depois estende-se numa superfície enfarinhada.

Os biscoitos tendem-se formando 1º um pequeno rolo grosso, que se corta em dois sítios, separando a massa de modo a obter-se um biscoito com três pernas. Esta é a forma mais típica, mas também se podem moldar em S ou de qualquer outra forma.
Pincelam-se com ovo batido, e quem gostar pode também polvilhar com açucar, como se faz na Idanha. Levam-se a cozer em forno bem quente, até ficarem lourinhos.

Se experimentarem, dêem notícias!

13 comentários:

kuka disse...

Estás à espera que os cágados cresçam? Se sopa de tartaruga é bom...Eu nunca comi mas dizem que é óptimo.

Anónimo disse...

Obrigada pela receita. Mais uma para ir para a lista das receitas para quando a dieta acabar. Outra coisa: A Paula poderia dar-me uma receita de carne estufada para fazer de base para os pasteis de vinho(?). Já comprei um pouco de carne mas é uma receita que nunca me calhou bem.

Obrigada
o meu mail é: barbara@algarveweb.com, caso queira enviar por essa via.
Obrigada e beijinhos

Joana disse...

Estes biscoitos são mesmo muito bons! N há melhor para comer com leite. E como n são mto doces, sempre se vai mantendo a linha! Beijinhos***

Elvira disse...

Gosto de a ver de volta! :-)

Paula disse...

Bárbara, peço desculpa pelo atraso na resposta...
Para fazer a carne estufada, costuma deixá-la a marinar de um dia para o outro, cortada em cubos, com um pouco de vinho, cenoura às rodelas, cebola e alho picado, um pouco de sal e pimenta, um cravinho e uma folha de louro.
No dia seguinte retiro-a da marinada, e alouro os cubos de carne em banha ou azeite até ganharem cor; depois polvilho com um pouco de farinha, junto a marinada e levo a estufar devagarinho, até a carne ficar bem macia (no mínimo 1 hora e meia em lume brando, tendo o cuidado de ir rectificando a quantidade de líquido, para não queimar). Para os pastéis, depois de pronta, tem que se picar a carne, claro. Espero ter ajudado!

Paula disse...

Kuka, não me sinto nada tentada pela sopa de tartaruga... De modo que os cágados podem ficar tranquilos e crescer em paz!

M João Oliveira disse...

Olá gostaria que desse um saltinho ao nosso blog. Acredito que o workshop de pastelaria lhe possa interessar
Obrigado e bom trabalho

Anónimo disse...

Olá, adoro o teu blog

Sou de Castelo Branco mais propriamente de Idanha-a-Nova e como estou tão longe adoro visitar o teu blog porque uma das coisas que me faz mais falta é a boa cozinha beirã..

A propósito, na Idanha chama-mos a esses bolinhos "bolos das três pernas" !

Um abraço e continua..

Anónimo disse...

Eu adoro esses biscoitos...essa da dieta com essa quantidade de azeite não acredito muito, mas como um dia não são dias vou fazê-los mal receba azeite de Portugal...

Mónica disse...

Espero que a próxima receita a postar não seja Sopa de tartaruga :-0

Lol...

(o nosso Chefe Kuka é terrivel!!)

Anónimo disse...

Olá Paula e obrigada pela receita. Já tenho a carne no congelador desde da semana passada, vou hoje à noite retirar e amanhã temperar. Depois à noite é cozer e, se sobrar alguma vou fazer os pasteis no sábado. Depois digo como correu. Obrigada
Barbara

Anónimo disse...

Olá Paula,
Fiz os pasteis ontem à noite e gostei. Não tinha vinho branco para juntar à massa, substitui com leite e ficou bom à mesma. Juntei foi pouco sal à massa e a carne também estava ensonsa. Pondo um pouco de sal quando se comer ficam optimos.
Obrigada pela receita. Será que também dá para por outros recheios? Porque nem sempre faço carne estufada.
Beijinhos
Barbara

Paula disse...

Querida Bárbara,
Tenho utilizado sempre carne para rechear os pastéis, porque acho que é o que melhor vai com esta massa, mas, como é evidente, deve ser possível recheá-los de outra forma... em que é que estava a pensar?...se fizer alguma experiência partilhe connosco...
Beijinho.